AMBIENTE FLUVIAL, VIOLÊNCIA E AS COMMODITIES ILÍCITAS NAS CIDADES BRASILEIRAS LINDEIRAS AO LAGO DE ITAIPU

Autores

  • Luciano Stremel Barros
  • Eloiza Dal Pozzo

DOI:

https://doi.org/10.59731/vol1iss3pp296-317

Palavras-chave:

Lago de Itaipu, commodities ilícitas, fronteira Brasil e Paraguai, mortes violentas, abandono escolar

Resumo

Com base em fontes de dados primárias relacionadas aos indicadores: PIB per capita, Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), taxa de mortes violentas e índices de abandono escolar no Ensino Médio, o presente capítulo estabelece um debate sobre a governança na fiscalização do Lago de Itaipu. São apresentados documentos e normativos brasileiros que mostram as atribuições de diversas organizações que atuam nos ambientes fluviais, mas, debate-se a necessidade de coordenação em termos de segurança e fiscalização em tal área, há tempos utilizada como rota de toda a natureza de ilícitos. A análise mostra a contradição entre alguns dados: as taxas de abandono escolar na educação básica e a de mortes violentas nos 16 municípios lindeiros ao Lago de Itaipu do lado brasileiro destoam do IDHM e do PIB de tais cidades. Por fim, destaca-se a importância da construção da Política Marítima Brasileira que abranja a segurança em ambientes fluviais de forma multidimensional.

Downloads

Publicado

2023-06-16

Como Citar

BARROS, L. S.; DAL POZZO, E. AMBIENTE FLUVIAL, VIOLÊNCIA E AS COMMODITIES ILÍCITAS NAS CIDADES BRASILEIRAS LINDEIRAS AO LAGO DE ITAIPU. Revista (RE)DEFINIÇÕES DAS FRONTEIRAS, [S. l.], v. 1, n. 3, p. 296–317, 2023. DOI: 10.59731/vol1iss3pp296-317. Disponível em: https://journal.idesf.org.br/index.php/redfront/article/view/66. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos