A GEOPOLÍTICA DA ENERGIA NA FRONTEIRA BRASIL - PARAGUAI

O TRATADO DE ITAIPU

Autores

  • Marcos Mesquita
  • Nicolly Marinho
  • Camilo Pereira Carneiro

DOI:

https://doi.org/10.59731/vol1iss3pp58-73

Palavras-chave:

Tratado de Itaipu, Geopolítica, Bacia do Prata, Hidrelétrica de Itaipu

Resumo

O Tratado de Itaipu, assinado em 26 de abril de 1973, que formalizou a implantação de uma hidrelétrica binacional entre Brasil e Paraguai no rio Paraná, tem validade de 50 anos, que se encerra em 2023. Principal hidrelétrica da América Latina, Itaipu Binacional constitui um elemento chave na geopolítica regional. A hidrelétrica forneceu, em 2021, 8,4% da energia consumida no Brasil e 85,6% da energia consumida no Paraguai. Em 2023, os dois países renegociarão o anexo “C” do tratado, estabelecendo novas regras para o preço da energia que o Paraguai fornece para o Brasil, assunto que já configura um dos principais temas da diplomacia brasileira. Nesse sentido, face à importância estratégica da hidrelétrica na geração de energia dos países e no processo de integração regional, o presente artigo analisará sob a ótica da Geografia e Comunicação, a geopolítica da energia na fronteira Brasil Paraguai e seus desdobramentos.

Downloads

Publicado

2023-06-16

Como Citar

MESQUITA, M.; MARINHO, N.; CARNEIRO, C. P. A GEOPOLÍTICA DA ENERGIA NA FRONTEIRA BRASIL - PARAGUAI: O TRATADO DE ITAIPU . Revista (RE)DEFINIÇÕES DAS FRONTEIRAS, [S. l.], v. 1, n. 3, p. 58–73, 2023. DOI: 10.59731/vol1iss3pp58-73. Disponível em: https://journal.idesf.org.br/index.php/redfront/article/view/53. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos