A CASA DO MIGRANTE DE FOZ DO IGUAÇU:

HISTÓRICO E ATENDIMENTOS, SOB A PERSPECTIVA DO TRÁFICO DE PESSOAS NA TRÍPLICE FRONTEIRA

Autores

  • Rosane Amadori

DOI:

https://doi.org/10.59731/vol1iss2pp149-179

Palavras-chave:

Migração, Tráfico de pessoas, Tríplice fronteira

Resumo

O artigo aborda o tráfico de pessoas a partir dos atendimentos realizados pela Casa do Migrante de Foz do Iguaçu. O trabalho expõe o cenário do delito, no contexto das migrações e dos marcos regulatórios, com tipificação definida em âmbito internacional pelo Protocolo de Palermo, ratificado no Brasil pela Lei do Tráfico de Pessoas. O objetivo é analisar os atendimentos aos migrantes, sob o viés do enfrentamento ao tráfico de pessoas, e contribuir para a elaboração de políticas públicas para tal; este artigo traz o histórico da instituição, descreve a estrutura da Casa e relaciona os registros dos últimos cinco anos de atendimento ao fluxo fronteiriço, e sua condição de facilitador do tráfico humano, também, ao que prevê o III Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas para as fronteiras brasileiras. Para compor o cenário de análise, o estudo utiliza informações obtidas em entrevista aberta, realizada com a coordenadora da Casa do Migrante de Foz do Iguaçu, Irmã Terezinha Mezzalira, e nos registros de atendimentos dos últimos cinco anos. Como constatação da análise, a ausência de dados e a fragilidade na tríplice fronteira, em relação ao tráfico de pessoas, um dos crimes que mais crescem em âmbito internacional.

Downloads

Publicado

2023-05-10

Como Citar

AMADORI, R. A CASA DO MIGRANTE DE FOZ DO IGUAÇU: : HISTÓRICO E ATENDIMENTOS, SOB A PERSPECTIVA DO TRÁFICO DE PESSOAS NA TRÍPLICE FRONTEIRA. Revista (RE)DEFINIÇÕES DAS FRONTEIRAS, [S. l.], v. 1, n. 3, p. 318–348, 2023. DOI: 10.59731/vol1iss2pp149-179. Disponível em: https://journal.idesf.org.br/index.php/redfront/article/view/36. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos